home
Melhoramento Genético    Artigos e matérias

Novo Caracu como Alternativa para Ganho de Qualidade na Carne


Marcelo Henrique Nunes¹ e Fernando Flores Cardoso²
¹Médico Veterinário, Mestre em Zootecnia pela Universidade Federal de Pelotas. Técnico especializado da CAPAL Cooperativa Agroindustrial. Endereço para correspondência: Rua Acácia Mimosa, nº150, Vista Alegre, Carlópolis-PR, CEP:86420-000. E-mail: marcelohgn@gmail.com
²Médico Veterinário, PhD, Pesquisador da Embrapa Pecuária Sul.

 

Na pecuária de corte os cruzamentos são frequentemente utilizados com objetivos de aumentar a produtividade por meio da heterose ou concentrar em um único individuo características economicamente interessantes presentes em duas ou mais raças distintas por meio da complementaridade.

O uso de raças zebuínas no cruzamento com raças taurinas é empregado em larga escala na cadeia produtiva da carne no sul do Brasil, com o intuito de unir a rusticidade e adaptabilidade do zebuíno com a precocidade e qualidade de carne que inerentemente as raças taurinas apresentam.

Quando o assunto é qualidade da carne, vários estudos apontam desvantagens dos animais zebuínos em relação aos animais de raças taurinas. Estes últimos costumam produzir uma carne mais macia e com maior grau de gordura intramuscular (marmoreio), aspectos essenciais para maior palatabilidade, suculência e apreciação da carne bovina pelos consumidores. Estudos também apontam que a participação de elevado percentual de sangue zebuíno no cruzamento também diminui a maciez da carne .

O NOVO CARACU, por sua vez, é uma raça taurina adaptada, selecionada naturalmente para resistir ao calor e a exposição à ectoparasitos, e poderia ser utilizada como alternativa para cruzamentos com raças britânicas afim de, obter animais de melhor produtividade e rusticidade, utilizando a heterose, mas sem alterar a qualidade da carne.

Na Embrapa Pecuária Sul localizada no município de Bagé/RS, dentro de um projeto amplo para avaliação de estratégias genéticas para produção de carne de qualidade – o Bifequali, foi conduzido um experimento visando avaliar o desempenho e a qualidade da carne de novilhos puros e cruzados. Os animais avaliados foram os puros Angus [ANAN], Hereford [HHHH], Nelore [NENE] e os cruzados Angus X NOVO CARACU [ANCR], Angus X Hereford [ANHH] e Angus X Nelore [ANNE].

O cruzamento com Angus utilizando a RAÇA CARACU como alternativa ao zebuíno apresentou produtividade superior aos puros e não diferiu do cruzamento tradicional com Nelore. Os cruzamentos [ANNE] e [ANCR] produziram animais com os maiores pesos vivos e consequentemente carcaças mais pesadas. Esses cruzamentos também não diferiram entre si em características importantes de desenvolvimento da carcaça como a área de olho de lombo e comprimento de carcaça [Tabela 1].

 

Quando observar a TABELA 1, em que são apresentadas as características produtivas, note que o Comprimento de Carcaça [CC] e a Área de Olho de Lombo [AOL] do cruzamento Angus x NOVO CARACU [ANCR] superou todos os outros.

O Peso de Carcaça [PCF] desse mesmo cruzamento teve o segundo melhor índice.

Isto demonstra que o NOVO CARACU, através do cruzamento, contribui muito no repasse de características produtivas, com a vantagem de ser um animal adaptado ao clima tropical.

TABELA 1
Médias e desvios-padrões (DP) para características relacionadas à produtividade de diferentes genótipos.


Raças*

GMD ±DP kg PVF ±DP kg PCF ±DP kg CC ±DP cm AOL ±DP cm²

ANAN

1,36 ±0,10 a 463,0 ±11,2 a 235,1 ±6,5 bc 131,7 ±2,4 ab 65,7 ±3,3 bc

ANCR

1,18 ±0,07 a 494,5 ±8,5 a 255,9 ±5,0 ab 137,0 ±1,8 a 78,4 ±2,9 a

ANHH

1,35 ±0,06 a 475,7 ±7,7 242,8 ±4,5 b 136,9 ±1,7 a 71,2 ±2,4 abc

ANNE

1,10 ±0,07 ab 503,8 ±8,6 a 272,2 ±5,2 a 134,6 ±1,7 ab 77,8 ±3,1 ab

HHHH

1,22 ±0,07 a 468,1 ±9,4 a 240,5 ±5,5 b 134,0 ±2,0 ab 74,2 ±2,9 ab

NENE

0,78 ±0,09 b 403,3 ±12,9 b 209 ±7,5 c 125,4 ±2,8 b 60,6 ±3,9 c

* Raças: Angus [ANAN], Angus X Caracu [ANCR], Angus X Hereford [ANHH], Angus X Nelore [ANNE], Hereford [HHHH] e Nelore [NENE].
Outras abreviações: Ganho médio diário [GMD], peso vivo final [PVF], peso de carcaça fria [PCF], comprimento de carcaça [CC] e área de olho de lombo [AOL].

Fonte: NUNES, 2011.

Devido às novas tendências do mercado e aumentar da exigência dos consumidores por um produto de melhor qualidade, a maciez da carne também foi um dos critérios avaliados durante esta pesquisa. Para isso, foi utilizado um método objetivo: a força de cisalhamento, medida em kgf necessários para que uma lámina especial (Warner-Bratzler) rompesse as fibras da carne depois de assada e também uma avaliação sensorial por painel de avaliadores treinados. O cruzamento ANCR apresentou os valores baixos para força de cisalhamento e dureza, produzido carne significativamente mais macia que o cruzamento Angus com Nelore e o Nelore puro [Tabela 2].

 

Quando observar a TABELA 2, onde são apresentados dados sobre a maciez da carne, note que o cruzamento Angus x NOVO CARACU, superou todos os outros tanto na análise física como na sensorial. Isto demonstra que a RAÇA CARACU esta pronta para contribuir com programas que visem a carne de qualidade.

TABELA 2
Médias e desvios-padrões (DP) para características relacionadas à maciez da carne de novilhos de diferentes grupos genéticos.


Raças* FC ±DP kgf Dureza ±DP

ANAN

5,6 ±0,6 abc 3,2 ±0,5 abc

ANCR

3,7 ±0,5 a 1,9 ±0,4 ab

ANHH

4,9 ±0,4 abc 2,2 ±0,4 ab

ANNE

5,9 ±0,5 bc 3,0 ±0,5 bc

HHHH

4,4 ±0,5 ab 2,7 ±0,5 b

NENE

6,9 ±0,7 c 4,3 ±0,6 c

RAÇAS* Angus [ANAN], Angus X Caracu [ANCR], Angus X Hereford [ANHH], Angus X Nelore [ANNE], Hereford [HHHH] e Nelore [NENE].
Força de Cisalhamento [FC] e Dureza [DP], avaliada pelo painel sensorial, pontuam de 1 a 9 em uma escala não estruturada, sendo valores próximos a 1 = carne pouco dura e carne próxima a 9 = carne com maior dureza.

Fonte: NUNES, 2011 .

 

Concluímos que o cruzamento de raças britânicas com o NOVO CARACU pode ser utilizado como alternativa para aumentar a produtividade e a rusticidade dos bovinos, com a vantagem de não diminuir a maciez da carne, como pode ocorrer em cruzamentos envolvendo zebuínos. Esses animais cruzados com caracu merecem atenção de novos estudos e sua utilização e avaliação em programas de cruzamento industrial de larga escala, pois conciliaram bons ganhos de peso, carcaças pesadas e rendimento de cortes comerciais, com um diferencial positivo para uma das características mais apreciadas pelo consumidor, a maciez da carne.

 

REFERÊNCIA: NUNES, Marcelo Henrique Giordano. Eficiência alimentar e características da carcaça e da carne de novinhos de diferentes genótipos terminados em dois sistemas alimentares. 2011. 80 f. Dissertação (Mestrado) - Programa de Pós Graduação em Zootecnia Universidade Federal de Pelotas, Pelotas.

 

Voltar


© Fazenda Guarauna | 41 3274 2814 • 42 3252 9500 | comercial@guarauna.com.br